Crédito Habitação

Taxa de juro no crédito habitação continua em mínimos históricos e desceu para 0,801% em dezembro de 2021, mostra o INE.

Comprar casa com recurso ao crédito habitação foi – e continua a ser – a opção de muitas famílias portuguesas. Os dados mais recentes do Instituto Nacional de Estatística (INE) mostram que o valor médio da prestação da casa manteve-se nos 253 euros em dezembro de 2021, considerando a totalidade dos contratos. Já a taxa de juro continua em mínimos históricos e desceu para 0,801% no último mês do ano passado (-0,6 pontos base face a novembro).

Como é que a prestação da casa mexe com os bolsos dos portugueses? Na verdade, em dezembro não houve quaisquer alterações. As famílias pagaram, em média, exatamente o mesmo que no mês anterior: 253 euros. Deste valor, a maioria serviu para amortizar capital do crédito habitação (85%) e o restante para pagar os juros associados (15%), revela o boletim publicado esta quarta-feira, dia 19 de janeiro de 2022. Já nos contratos celebrados nos últimos 3 meses, o valor médio da prestação desceu 8 euros, para 307 euros.

Fazendo o balanço anual de 2021, a realidade é outra. A prestação média anual vencida para o total do crédito habitação subiu 4 euros em 2021, para 237 euros. “No destino de financiamento aquisição de habitação verificou-se igualmente uma subida de 4 euros entre 2020 e 2021, fixando-se em 256 euros”, lê-se no documento.

Como evoluiu a taxa de juro no crédito habitação?

A taxa de juro nos contratos de crédito habitação esteve em rota decrescente durante um ano: entre setembro de 2020 e setembro de 2021, mês em que alcançou o mínimo histórico de 0,785%. Esta tendência foi invertida em outubro, altura em que aumentou para 0,803%. E em novembro voltou a subir para 0,807%, mostram os dados do INE.

Mas esta subida foi de pouca dura, já que em dezembro a taxa de juro voltou a descer para os 0,801%. E nos contratos celebrados nos últimos três meses, a taxa de juro desceu de 0,692% em novembro para 0,682% em dezembro.

Olhando para o conjunto ano de 2021, o INE conclui que “a taxa de juro média anual implícita nos contratos de crédito habitação fixou-se em 0,821%, 13,6 p.b. inferior à taxa verificada em 2020”. E no destino de financiamento aquisição de habitação, a taxa de juro média desceu 13,5 p.b., situando-se em 0,834%.

E o capital em dívida?

Há mesmo cada vez mais famílias a recorrer aos bancos para financiar a compra da casa. Os novos empréstimos aos particulares para comprar casa tem vindo a subir, segundo mostram os dados do Banco de Portugal, e o capital em dívida também.

O INE revela que o capital médio em dívida aumentou 123 euros em dezembro face ao mês anterior, fixando-se em 58.207 euros. “Para os contratos celebrados nos últimos 3 meses, o montante médio do capital em dívida foi 120.389 euros, mais 1.696 euros que em novembro”, revelam.

E no balanço de 2021? “O capital médio anual em dívida para o total de crédito e para o destino de financiamento aquisição de habitação, passou de 54.240 euros e 61.020 euros em 2020, respetivamente, para 56.668 euros e 63.695 euros em 2021, pela mesma ordem”, concluem.

Fonte: https://www.idealista.pt/news/financas/credito-a-habitacao/2022/01/19/50599-prestacao-da-casa-mantem-se-nos-253-euros-em-dezembro-e-juros-descem

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *